Hangzhou

Chegando de Hangzhou, uma cidade incrível!

Hangzhou começou a se desenvolver no século VIII com a abertura do Grande Canal, uma obra importante para a economia chinesa pois facilitou a circulação de mercadorias entre as províncias do norte e do sul. O transporte pela água é uma das grandes características do comércio chinês e até hoje é muito importante a presença de barcos nos inúmeros canais e na enorme extensão de rios navegáveis que o país possui.

O período áureo de Hangzhou, porém, foi durante a dinastia dos Song do sul, que ali estabeleceram sua capital, fugindo da dominação dos invasores Jurchen (que, no início do século XII, atacaram o norte, conquistando posteriormente quase toda a China). A cidade guarda, ainda hoje, muitos vestígios do tempo em que foi uma brilhante capital. No Museu Provincial uma excepcional coleção de cerâmicas, especialmente da época Song, testemunha a riqueza e o refinamento daquela sociedade.

O Museu da Seda é muito bem apresentado e, além de um acervo importante de sedas antigas e de alguns objetos, conta a história da sericultura na China e de sua expansão através da Rota da Seda. É claro que fiquei encantada, não podia estar mais feliz de encontrado este museu!

Toda a cidade é belíssima. Fica em volta de um lago (Xi Hú) que é cortado por caminhos e pontes, formando dois pequenos lagos internos (Bei Li e Xi Li) dentro do lago principal. Ilhotas e pavilhões chineses também “enfeitam” o lago e o conjunto, todo iluminado à noite, é mágico. Durante o dia é muito comum uma neblina descer sobre as margens e é esta paisagem, com a neblina, que está registrada em inúmeras pinturas chinesas antigas.

Em uma das ruas mais antigas de Hangzhou fica um famoso Centro de Medicina Tradicional Chinesa. Fui até lá para conhecê-lo, o prédio é muito bonito e, na entrada, funciona uma farmácia tradicional (foto abaixo), em cujas paredes está exposta uma coleção de antigos potes de porcelana pintada.

Enfim, um excelente programa que pretendo repetir pois a cidade merece mais de uma visita.